quarta-feira, 31 de março de 2010

LIVRO II - PARTE 2 - 04 – Sonhando




Sonhando

Eu vou ás campinas
colher mal-me-queres
       Não queres?
Verbanas bonitas
Violetas e Rosas
flores tão formosas
       Não queres
Passar pelos montes
Descer nas encostas
       Não gostas
E perto das fontes
Ouvir passarinhos
       Não gostas
Por entre os Rochedos
a agua a correr
       Vêm ver

Os dias são ledos
E ali lindas flores
Recordam amores
       Vem ver

Contempla no vale
Já tudo florindo
       Tão lindo
E alem o casal
Branquinho mimoso
Que alveja saudoso
       Tão lindo
Porque e que tu choras
Se ali tudo há
       Diz lá
Pois tu não adoras
perfumes suaves
e os trilos das aves
       Diz lá


[sem data nem assinatura]




Bookmark and Share

terça-feira, 30 de março de 2010

LIVRO II - PARTE 2 - 03 – “Comparações”



Comparações
I
A lua no Vilado
De Selvas bordado
Abriu uma Rosa
tão linda e Viçosa
no em todo Rosa
contigo a comparo
meu bem meu amor
II
São lindas as Rosas
Encantão as flores
Quais Virgems formosas
Inspirales amores
Que linda era Rosa
A rosa que eu vi
Por ser tão formosa
Lembrei-me de ti

[sem data nem assinatura]

Bookmark and Share

segunda-feira, 29 de março de 2010

LIVRO II - PARTE 2 - 02 - “Aspirações”



Aspirações

Quando um dia vir realizado o sonho que eu sonhei no dia que jurei amarte deixarei então de ser assim tristonho por andar ausente sem poder falar deixarei de andar sempre noite e dia na tristeza imprópria desta minha idade delirante e louco de melancolia Quasi extenuado pela saudade Serei então feliz quando em teus braços Repousar alegre como aspirei desfrutando o gozo que só o dá os laços deste amor tão puro que eu te consagrei.

[sem data nem assinatura]



Bookmark and Share

sexta-feira, 26 de março de 2010

LIVRO II – PARTE 2 – 01 – “Flores para ti”



Flores para ti

[RECORTADO]! E o teu nome que adoro arqueteo e tão breve! Tão lindo e senoro Palavra que encanta, Cristal que seduz ainda me lembro de quando o ouvi surtir emoções como nunca senti o fogo no peito e no esperito a luz
II

O fogo que gera o amor bem ardente a luz do ideal que na alma se sente quando se ama sedento de ventura a, majia dum nome e tão sugestiva que alegra uma alma e a deixa captiva Em laços do afectros, sonhando termina

III

assim, o teu nome, qual fulgido
Deslumbrou a minha alma e pôde prendela
Os nossos destinos fundiram-se querida
E se alguém perguntar porque foi que te amei confesso-o o diva! Eu proprio não sei.
Misterios da alma são sonhos da vida

[sem data nem assinatura]
Bookmark and Share

quinta-feira, 25 de março de 2010

LIVRO II - 64 - “… assim foi a minha primeira história na tropa …”



JOSÉ FERREIRA MARQUES
Fui a Cidade em 27 Abril.
Acentei Praça em 24 de Agosto
Jurei Bandeira em 15 de Outubro
Mudei para a Cidade 17 de Outubro
Mudei para Cidade 6 Dezembro
Fui a Ezame a Cidade, carta de lista Branca

II
2 de Maio
Estando em Cidade tive 7 dias de liçenca La fui gozar a liçenca para me aprisentar no dia no dia 6 de Janeiro aconteceu vindo para Cidade que tomei o comboio na Localidade em direcção a Lisboa, chegado a Lisboa as 21-45 Lisboa para o Barreiro as 22 No Barreiro não havia comboio só havia comboio 9 30 da manhã Não podia ser de maneira que perguntei havia um Comboio no Barreiro cerca 3 45 mas não podia ser porque o comboio não dava ligação Resumo não tinha comboio mas havia um comboio ás 3 da manhã de maneira que tinha que estar em Cidade as 07.30 da manhã tive que mi meter no comboio mercadorias sem ninguém saber que passava a Vendas Novas para dar ligação com o comboio para Cidade mas fazia um Nevoeiro intenço que não deixava ver a estação
Estava com medo mas o medo na tropa não pode pesestir e assim foi a minha primeira historia na tropa.
___

Gozar licença primeira vez De 8 de Março a 28 de Março
___
Fui para Impedido no …
20 de Abril

Bookmark and Share

quarta-feira, 24 de março de 2010

LIVRO II - 63 - “… já pouco há-de faltar …”




“Localidade 18-5-73
Querido filho
Faço votos que ao receberes esta minha carta te encontres de perfeita e feliz saúde. Eu fico bem felizmente.
Recebi a tua carta que me alegrou bastante por dizeres que te encontras de saúde, pois andei bastante preocupada, sem saber o que havia de pensar pois que já à 3 semanas não me escrevias, recebi a tua carta só na quinta-feira.
Mandas-te dizer que vinhas no fim do mês, pois cá te espero.
Ouve lá aonde é que deixas-te a bicicleta quando te fôs-te embora?
Olha as novidades por cá é sempre a mesma coisa como sabes, nunca passamos disto, é sempre o mesmo.
Por hoje vou terminar pois que nada mais por agora tenho para te mandar dizer.
Recebe cumprimentos de todos e da tua mãe recebe muitos beijos cheios de saudade.
Adeus e felicidades tua mãe
amiga Maria do Carmo
P.S. Dizes que andas aborrecido, deixa lá tem paciência que já pouco há-de faltar se Deus quiser.”



Bookmark and Share

terça-feira, 23 de março de 2010

LIVRO II - 62 - “… tanto tempo sem escrever, já estou esquecida?”



“Localidade 7-5-73
Querido filho
Faço votos que ao receberes esta minha carta te encontres de perfeita e feliz saúde. Eu, fico bem felizmente.
Estou-te a escrever sem carta tua não sei o que se passa estarás doente? Nunca estiveste tanto tempo sem escrever, já estou esquecida? Pois eu ainda não me esqueci de Ti.
Agora quando escreveres escreve-me para a fábrica porque eu não pergunto à mulher do tio dela, ele nem sempre está em casa, por isso se escreveres para a direcção que eu te mando porque assim não há problemas em eu receber as cartas porque elas vão-me parar às mãos. A direcção é a seguinte: A. Pereira Constâncio – Concelho é só o que é preciso.
Eu cá espero pela carta, eu de vez em quando pergunto, escuso de me andar a chatear.
Então ainda tens roupa lavada? Faço ideia.
Então quando é que cá vens? Quando vieres manda dizer que é para eu fazer conta.
As novidades são sempre as mesmas por cá, pelo menos que eu saiba.
Por agora nada mais tenho para te mandar dizer pois que isto é sempre o mesmo.
Recebe cumprimentos de todos e desta tua mãe que nunca te esqueceu, recebe muitos beijos cheios de saudades.
Tua mãe amiga
Maria do Carmo”


Bookmark and Share

segunda-feira, 22 de março de 2010

LIVRO II - 61 – “… então aí aonde estás dormes ao ermo? …”





“Localidade 4-4-73
Querido filho
Faço votos que ao receberes esta minha carta te encontres de perfeita e feliz saúde. Eu, fico bem felizmente.
Recebi a tua carta que já era esperada à dias, fiquei contente por saber que te encontravas bem de saúde, embora um pouco triste por saber que estavas no campo, então aí aonde estás dormes ao ermo? Tem cautela com os carros pois que te podem surgir complicações se te acontecer alguma coisa com alguém.
Então vens cá passar a Páscoa? Manda-me dizer se vens ou não que é para eu fazer conta. Cá espero por ti.
Olha sabes quem é que está no hospital au Distrito? É a tua madrinha deu-lhe uma trombose.
Já pensei que estivesse esquecida.
Então já não tens roupa lavada nem fruta? Concerteza que não.
E por hoje é tudo, termino pois que nada mais tenho a dizer, recebe cumprimentos de todos e recebe muitos beijos desta tua mãe que nunca te esquece e deseja as maiores felicidades.
Tua mãe amiga
Maria do Carmo”
Bookmark and Share

quinta-feira, 18 de março de 2010

LIVRO II - 60 - “… tinhas recebido 30.00 então não costumavas receber mais …”




“Localidade 30-1-73
Querido filho
Faço votos que ao receberes esta minha carta te encontres de perfeita e feliz saúde, que eu ao escrever-te fico bem felizmente.
Recebi a tua carta que muita alegria me deu como sabes fico sempre contente quando recebo carta tua e quando mandas dizer que ficas bem.
Mandavas dizer que tinhas recebido 30.00 então não costumavas receber mais do que esta importância?
Assim que saibas quando vens manda-me dizer que é para eu fazer conta, não te incomodes, nunca te atrapalhes.
Olha no sábado houve cá o baile de aniversário sabias?
Olha o tio Pedro veio para casa no domingo agora está cá em casa, as melhoras dele são as mesma é a mesma coisa.
Sem outro assunto vou terminar pois que mais nada tenho para mandar dizer como sabes é sempre a mesma coisa.
Desejo de todo o coração que te encontres bem e que tudo côrra como te desejas, recebe cumprimentos de todos e muitos beijos desta tua mãe que nunca te esquece.

Adeus”
Bookmark and Share

quarta-feira, 17 de março de 2010

LIVRO II - 59 - “… ouvi na telefonia soldados a falar …” - O POSTAL

“A tua
mãe dejeija
um Natal Feliz e
um ano próspero
eu cá te espero”











Bookmark and Share

terça-feira, 16 de março de 2010

LIVRO II - 59 - “… ouvi na telefonia soldados a falar …”




“Localidade 19-12-72
Querido filho
Faço votos que esta minha carta te vá encontrar de perfeita e feliz saúde, que eu ao escrever-te fico bem felizmente.
Recebi a tua carta a qual me deixou contente por saber que ficavas bem de saúde.
Olha ontem eram umas 6 e tal ouvi na telefonia soldados a falar e ouvi dizerem que era um Adalberto Pereira Graça em Quartel e falou só para a mãe pensei que eras tu, fôste? ou não? Manda-me dizer que é para eu saber.
Então sempre cá vens passar o Natal e o Ano Novo ou não? Manda dizer.
E com isto vou terminar pois que não sei o que te hei-de mandar dizer mais, recebe muitos cumprimentos de todos, e beijos desta tua mãe que te deseja as maiores felicidades.
A tua mãe

Maria do Carmo
Felicidades.”
(Continua)

Bookmark and Share

segunda-feira, 15 de março de 2010

LIVRO II - 58 - “… Então sempre cá vens este fim de semana? …”



“Localidade 4-12-72
Querido filho
Desejo que ao receberes esta minha carta te encontres de perfeita e feliz saúde, que eu ao escrever-te fico bem felizmente.
Recebi a tua carta que me deixou bastante satisfeita por saber que ficavas bem de saúde. Então sempre cá vens este fim de semana? Se vieres manda-me dizer que é para eu saber e fazer conta.
Olha as novidades são sempre as mesmas não tenho nada de novo para te mandar dizer. Olha se vieres na quinta-feira procura a chave em casa do tio Pedro, que eu deixo-a lá.
Olha por agora é tudo, não tenho nada mais para te mandar dizer, recebe cumprimentos de todos e desta tua mãe recebe muitos beijos e abraços, a tua mãe que te deseja que te côrra tudo como desejas.

Adeus e felicidades.”

Bookmark and Share

domingo, 14 de março de 2010

POSTER OSPAAAL - 1972 - SOLIDARIEDADE MUNDIAL COM A LUTA DO POVO DE ANGOLA




A Organização de Solidariedade entre os Povos da África, Ásia e América Latina - OSPAAAL, produziu em Cuba posters de propaganda promovendo as suas causas, internacionalmente famosos pela qualidade do seu design e pela acutilância da sua mensagem. No lugar de serem afixados pelas paredes da cidade de Cuba, eram dobrados e anexados às cópias da revista Tricontinental. Este processo permitiu à organização difundir a sua mensagem internacionalmente.

Fontes:

Bookmark and Share

sexta-feira, 12 de março de 2010

LIVRO II - 57 - “… Então já sabes quando cá vens? …”



“Localidade 20-11-72
Querido filho
Desejo que esta minha carta te vá encontrar de perfeita e feliz saúde, eu ao escrever-te fico bem felizmente. Recebi a tua carta na qual dizias ficares bem, é isso que eu desejo é que te encontres de saúde. Então já sabes quando cá vens? Vens concerteza passar cá o Natal ou ainda não sabes.
Olha o tio Pedro está internado em Lisboa numa clínica, estão a pagar 7.000$00 por mês vamos lá a ver se ele vai passando melhor, melhorar não concerteza mas pelo menos que vá passando melhor.
Olha se cá vieres passar o Natal manda dizer que é para eu saber. Olha por agora não sei que te hei-de mandar dizer mais desejo que estejas de saúde e que tudo côrra como tu desejas, sem outro assunto recebe muitos beijos desta tua mãe que te deseja as maiores felicidades recebe cumprimentos de todos.
Adeus e felicidades.”

Bookmark and Share

quinta-feira, 11 de março de 2010

LIVRO II - 56 - “… hás-de aí receber um vale de 150$00 …”



“Concelho 1-11-72
Querido filho
Faço votos para que esta minha carta te vá encontrar de perfeita e feliz saúde, que eu ao escrever-te fico bem felizmente.
Recebi a tua carta que muita alegria me deu ao saber que ficavas bem, pois que é esse o meu maior desejo.
Olha hás-de aí receber um vale de 150$00 que eu te mandei para passares os teus anos mas não sei quando aí chega porque não sei se tu mandaram hoje, depois quando ai chegar tu tens que o assinar, se resolveres cá vir passar os teus anos manda-me dizer antes que é para eu fazer conta.
Então tem chovido por aí muito? para cá chove muito, ainda hoje quarta-feira ainda não parou de chover.
Olha o Tio Pedro continua no mesmo as melhuras dele são as mesmas.
Com isto termino por agora não tenho mais nada para te dizer, ainda tens roupa lavada? ou já não?
Recebe cumprimentos de todos e muitos beijos da tua mãe que te deseja as maiores felicidades.
Adeus até à tua resposta”
Bookmark and Share

quarta-feira, 10 de março de 2010

LIVRO II - 55 - “… não mandaste dizer foi onde tens andado …”



“Concelho 13/6/1972
Querido Filho espero que estas minhas letras te encontrem bem que bem felizmente. Adalberto cá recebi a tua pois já estava a uns dias a espera. Adalberto não mandaste dizer foi onde tens andado sabes eu gosto sempre de saber. Adalberto estou sempre a tua espera quando vieres manda dizer ontem fui mais a Alda a Porto-Móz tenho ido aos Domingos a casa da tua irmã por hoje não tenho mais nada a dizer Adalberto faltaste a um baile na sede e um grande jogo e com isto termino recebe cumprimentos de todos e tu de mim muitos beijos desta tua mãe que não se esquece de ti.
Adeus”
Bookmark and Share

terça-feira, 9 de março de 2010

LIVRO II - 54 - “… Eh pá isto faz mesmo chorar. …” (Cont.)




(Continuação)
São 9 horas da noite e aqui no rádio ao lado há soluços nos locutores da Emissora Oficial de Angola no relato aos acontecimentos do desastre de aviação no mar do Lobito. Neste momento uma mãe grita a dizer que “esta não é a minha filha”, mas era, e estava morta! Eh pá isto faz mesmo chorar.
Bem mas isto passou, e o melhor é esquecer.
Quanto a guerra isto está uma merda.
Os “gajos” aqui no Leste cada vez estão mais fortes e traiçoeiros. Ainda há pouco montaram uma emboscada onde morreram nove militares nossos. No entanto os carneiros continuam a fugir da malta.
Amigo Beto por agora vou terminar.
Dá cumprimentos a tua mãe e irmão.
Não esqueças o Armindo, dá-lhe um abraço meu, e enfim, a toda a malta amiga.
Para ti um grande abraço do amigo sempre ao dispor
Bookmark and Share

segunda-feira, 8 de março de 2010

LIVRO II - 54 - “… Eh pá isto faz mesmo chorar. …”



Localidade, 21 de Maio de 1972
Amigo Beto:
Cá recebi a tua carta de 15 do corrente, a qual registo em alegria, e passo a dar resposta.
Quero no entanto desejar-te boa saúde e que a sorte te acompanhe em todas as tuas ideias e projectos.
Então já conseguiste a carta? Parabens! Bem pá! Isto de miúdas já está a ir longe demais…
Como sabes há fodas que ficam caras e a “porra” é quero ir ao “puto” tranquilo da vida. Tenho tido várias complicações e ultimamente surgiu-me uma “menina” de 26 anos, compreendes? Desculpa Beto mas disto nem quero falar e em Agosto, no meio dumas cervejas e duns “copos” havemos de falar muito.
No entanto posso-te adiantar que uma do Localidade que anda a estudar, não passei das “pernas” do “cu” e das habituais “punhetas”, já se vê. A malta de cá já diz (na brincadeira) que me vão escrever à miúda, etc, etc.
Olha pá, já não lhe escrevo há mais de mês e meio e a verdade é que ela não merece, pois sinceramente te digo que tem sido para mim, mais que uma namorada, uma irmã. Mas é como te digo, pá, um “gajo” aqui quer pretas e vinho verde e o resto que se fôda. A gaja deve andar em “baixo”, não anda?
Isto cá para a gente, pá, mas tenho meses de chegar ao dia 10, teso. Só em cerveja são 300, 400 escudos por mês.
Então o Armindo já namora!? Bem e tu quando é que te “atufas”?

(Continua)





Bookmark and Share

sexta-feira, 5 de março de 2010